Me and myself

Religião

Religião é um tema muito complicado274035_Papel-de-Parede-Gatinho-Rezando_1920x1200Sempre que sou questionada se sou evangélica ou católica fico na dúvida sobre o que devo responder, pois sei que não sou nenhum, mas também sei que sou os dois.

O que eu vou escrever agora pode causar algum incomodo àqueles que são mais presos à religião. Eu particularmente respeito quem segue uma religião, mas eu prefiro seguir o que é certo e não uma doutrina estabelecida. Acho que a religião prende, castra e algumas vezes nos impede de fazer o bem, além de nos encher de preconceitos, não nos permitindo estender a mão a TODOS que precisam.

Não gosto de congregar na igreja, não gosto quando tomam conta da minha vida, quando querem me forçar a acreditar numa verdade que mata, maltrata e excluí. Não gosto de ver as pessoas arrotarem santidade, mas serem incapazes de simplesmente fazer o bem. Não gosto quando ofendem a religião alheia, apenas porque a verdade do outro não é a verdade na qual você acredita. Acho que a verdade é muito grande para estar guardada por apenas uma religião.

Devemos ter fé, amor, respeito, empatia, vontade e capacidade de fazer o bem. Essas são as premissas da “religião” que escolhi e ela não tem qualquer denominação, nem mesmo é uma religião. É um estilo de vida.

A melhor religião a ser seguida é fazer o bem e é esta que sigo.

Beijos e carinhos, fiquem com Deus.

Me and myself

Sobre ganhar, mas não levar…

Acho que a primeira vez que tive a experiência de ganhar, mas não levar, foi quando fui sorteada e ganhei uma viagem para o Beto Carrero. Que criança não iria curtir isso? Pois é, eu lógico que queria, mas o prêmio dava somente direito a um acompanhante; ou meu pai ou minha mãe; o que significaria deixar minha irmã de fora, coisa que eu jamais faria. Meus pais não tinham condições financeiras na época para bancar mais uma passagem, então eu não fui. Ganhei, mas não levei.

podio-de-ouro

Esta semana sofri mais uma experiência desse tipo e, lógico, não foi felicidade o que eu senti.

Eu, este ano, participei do processo seletivo para o doutorado em letras na universidade pela qual fiz minha graduação. Participei de todas as etapas do processo e, acredito, fui muito bem na entrevista. Por fim fiquei em quinto lugar, aprovadíssima e apta para dar prosseguimento aos meus estudos, mas…

O valor da mensalidade era bem alto e, apesar dos meus pais terem se disposto a me ajudar a arcar com a despesa, eu comecei a pensar no custo que isso seria para eles. Já havia começado a desanimar da ideia, mas ainda assim fui para ver a matrícula e conversar sobre a possibilidade de bolsas. Mas…

Quando cheguei a universidade para fazer a matrícula, a grade oferecia apenas duas matérias, ambas pela manhã, em um horário que estou trabalhando. Olhei para o horário e tive certeza que era mais um momento do “ganhei, mas não levei”.

Não há como negar que estou muitíssimo chateada, mas o jeito é seguir em frente e tentar, mais uma vez e mais uma vez e mais uma vez… até que em algum momento as coisas se encaixem e seja possível ganhar e levar. Tudo serve para uma lição e talvez, mais na frente, eu consiga entender o que eu tinha para aprender com este momento.

Beijos e carinhos, fiquem com Deus.

Editado dia 27/04/2015

Recentes mudanças indicam que começarei o doutorado. Matrícula já está feita e aguardo ansiosamente pelo início das aulas na próxima semana. Acho que a lição disso tudo foi não perder a fé. Deus é fiel!