images
Livros

Ordem

O livro Ordem é do mesmo escritor de Silo. Quem não conhece o Silo, pode conferir a resenha aqui.

Quem já leu o Silo não compre Ordem achando que é uma continuação, mas tenha em mente que muitos eventos narrados em o Silo estão ligados ao que ocorre em Ordem. Eu mesma tive essa expectativa, antes de comprar o livro, imaginava que veríamos o que ocorreu com Julliet e o silo 18. Apesar de não se tratar da continuação do Silo, Ordem envolve o mesmo universo ficcional e “prende pontas” deixadas no Silo, respondendo uma das questões cruciais de toda a narrativa: como tudo começou?

Ordem envolve principalmente questões políticas e narra como a decisão de alguns poucos foi capaz de acabar com a Terra e estabelecer um novo tipo de sociedade, baseada principalmente na distorção e ocultamento de informações.

Ordem não tem uma narrativa linear, cronológica. Algumas partes se passam trezentos anos antes dos eventos registrados no Silo, outra parte conta a queda do silo do personagem Solo (Jimmy) e em outra parte vemos os eventos do grande levante que ocorreu no silo 18 (tão citado no primeniro livro da série). No fim de Ordem os eventos do Silo começam a aparecer, enlaça os dois livros e prepara o leitor para o terceiro da série: Legado.

Apesar de não contar eventos subsequentes aqueles ocorridos no livro Silo, é preciso lê-lo para compreender o livro Ordem.

Para quem curte narrativas em cenários pós apocalíticos será um grande prazer a leitura de Silo e Ordem e uma boa alternativa para as distopias adolescentes, uma vez que esta série conta com personagens mais maduros.

Segue a resenha.

E se a sobrevivência dos seres humanos dependesse do deslocamento de milhares de cidadãos para uma enorme cidade subterrânea, com gigantescas telas de TV transmitindo imagens desoladoras do mundo do lá fora, e ninguém fosse autorizado a sair?
images

Esse é a história de Silo, a série escrita por Hugh Howey que desbancou Guerra dos Tronos na lista de livros de ficção científica mais vendidos na Amazon.com. No primeiro livro da trilogia, a heroína era Juliette, uma operária nascida nos subterrâneos do bunker. Nesse segundo volume, Ordem, a história volta a um período anterior, explicando como o mundo de Juliette foi transformado. O livro revela as decisões, tomadas por alguns poucos poderosos, que foram o estopim das bilhões de mortes que deixaram a humanidade em vias de extinção.

Geral, Me and myself

Conhecendo Marina Colasanti

Para quem ainda não sabe, desde de a graduação eu tenho me empenhado em estudos sobre os contos de fadas da autora Marina Colasanti (e quem ainda não a conhece, aconselho a conhecer). Apesar de há anos estar falando sobre ela, ainda não havia tido a oportunidade de conhecê-la pessoalmente.
Ontem, no evento organizado pela Unigranrio (universidade na qual me graduei e este ano retornei para o doutorado), tive o imenso prazer de dividir a mesa com a grande Marina Colasanti. Graças ao convite da professora Cintia Barreto pude falar sobre o trabalho que venho desenvolvendo a respeito dos contos de fadas dela e foi uma experiência única falar sobre meu objeto de estudo na presença do meu objeto de estudo.
Marina foi muito receptiva, ofereceu-se até mesmo para me ajudar durante a minha tese de doutorado e se desculpou por estar me dando tanto trabalho. Um amor, uma simpatia imensa que fez com que eu, que já era fã assumida da autora, saísse ainda mais encantada.
Para completar, ela ainda autografou o meu exemplar de Fragatas para terras distantes com uma dedicatória linda que me deixou bastante emocionada.
Devo dizer que o dia 06 de maio tornou-se um dia único para mim. Foi uma grande honra poder estar ao lado da Marina Colasanti!

eu e Marina

eu e Cintia

eu e Marina 2

autografo Marina

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E no autógrafo, poucas palavras que para mim significaram muito: “Simone querida, para sempre grata pelo seu olhar sobre o meu trabalho. Como muito Carinho, Marina Colasanti”

Beijos e carinhos, fiquem com Deus.